terça-feira, 29 de setembro de 2009

Editors - In This Light and On This Evening (2009)

Editors

A comparação, mesmo que por vezes, seja apenas uma maneira de avaliação, ainda é capaz de chatear a muitos. São raros os casos de bandas que se sentem elogiadas após uma comparação. Aliás, não são só os integrantes das bandas comparadas que são atingidos por tais associações, os apreciadores das mesmas, normalmente, não ficam muito contentes em ver sua banda predileta serem declaradas similares a outras (gostando destas outras ou não). Originalidade é um artigo em falta até no "mercado" de fãs.

Nesse forte revival do pós-punk que dominou os últimos anos, uma banda que sofreu muito foi o Interpol. As comparações com o Joy Division, mesmo que discutíveis, não foram poucas. Sim, há muita influência da banda de Ian Curtis na sonoridade dos nova-iorquinos, não há dúvidas. Mas o Interpol, hoje, pode provar que vai muito além disso. Porém, mesmo agora que provado, as comparações não acabaram. Seria muito mais simples, a Paul Banks e sua turma, assumir a responsabilidade de cria do Joy Division e entender isso como um quase elogio. Mas não, isso nunca foi bem aceito pela banda. Sam Fogarino, baterista do Interpol, já declarou achar essa comparação patética. Patética ou não, o próprio Fogarino também saiu em defesa do Editors que, durante muito tempo, foi chamado de "Interpol Inglês".

"Deixem o Editors em paz" - ele disse. Não deixamos, ainda bem. E hoje é possível ver uma banda em constante evolução apresentando seu terceiro e ótimo trabalho, após dois álbuns exemplares. Dando ainda mais margem para comparações, mas não parecendo estar preocupado com isso, "In This Light and On This Evening" é tão denso quanto admirável, e o Editors, cada vez mais, tão comparável quanto elogiável.


Quando lançado "An End Has a Start", críticos apontavam o Editors como um futuro substituto do U2. Exageros a parte, o que eles enxergavam e o que todos podiam ver, era uma banda com muito mais disposição pop e uma ambição que envolvia, mesmo que implicitamente, estádios em seu futuro. Agora, o que ninguém esperava, pelo menos até Tom Smith declarar que o álbum era baseado nos filmes da série "Exterminador do Futuro", era que o Editors viria muito mais sombrio e inacessível.

Não que a obra seja inacessível, mas a sua disposição para as rádios se assemelha muito mais ao New Order, ao Depeche Mode ou Echo and The Bunnymen do que ao U2 (mesmo que no início da carreira). Ao menos, é agora que o Editors abandona o fardo de "Interpol Inglês" de uma vez, afinal, a nova direção tomada pela banda, não lembra nem de longe a tomada pelos nova-iorquinos. Os sintetizadores, o clima constantemente tenso e até um flerte com o rock industrial, constroem toda atmosfera de "In This Light And On This Evening".

A primeira faixa do álbum, que leva o nome do mesmo, precisa de 4 minutos 20 segundos para te apresentar o que vem por aí, e consegue sintetizar bem (mesmo num infame duplo sentido). "Bricks And Mortar" e "You Don't Know Love" (quarta faixa que traz a primeira "guitarra relevante" do álbum) talvez sejam canções mais preparadas para as rádios, mesmo que tenha sido "Papillon" a escolhida para ser o primeiro single, talvez por sua simplicidade e seu potencial para pistas. A desconstruída "The Big Exit" lembraria bem mais Nine Inch Nails se não trouxesse o momento mais relaxado da voz de Tom Smith, mas a sonoridade remete bem aquilo em que Trent Reznor é mestre. "The Boxer", uma linda canção que talvez faça referência ao maravilhoso, e já elogiado pelo próprio Editors, álbum do The National, abre portas para as últimas três faixas do disco, sendo a última delas, "Walk The Fleet Road", uma canção que seria capaz de colocar um orgulhoso riso no rosto de Ian Curtis.

Acima de qualquer comparação, Editors consegue, em seu novo álbum, se renovar e se destacar num ano de grandes lançamentos (e de algumas decepções também). Correndo como nunca, ele dá uma passo a frente de todas as bandas que temem comparações e se perdem em seus próprios melindres. Não há mais Joy Division, U2 ou Interpol que segure o talento do Tom Smith e sua banda.

Editors - In This Light and On This Evening (2009)
Editors - In This Light and On This Evening (2009)
01 - In This Light And On This Evening
02 - Bricks And Mortar
03 - Papillon
04 - You Don't Know Love
05 - The Big Exit
06 - The Boxer
07 - Like Treasure
08 - Eat Raw Meat = Blood Drool
09 - Walk The Fleet Road
Download link in comments / Link de downloads nos comentáriosMySpace
Separador

42 comentários:

Anônimo disse...

Download Link:
http://sharebee.com/7cc1bc7a

theallan disse...

Adoro...deveriam trazer eles no Planeta terra ao invés do Maximo Park

Fernando Ramires disse...

continua sendo total chupação de Joy Division ASSIM COMO o Interpol. A única banda desse segmento que consegue ir além do óbvio é o I Love You But I've Chosen Darkness, que estão devendo um disquinho novo, por sinal.

Ian Curtis disse...

eu não gostei da nove.

Iberê Borges disse...

Hahahaha! Prêmio de melhor comentário do ano.

Anônimo disse...

hehe... escrevi aquilo só pra te incomodar guru. tava com saudades? boa crítica prum disco mto foda.

Iberê Borges disse...

Porra, muita saudade.

Que bom que gostou, passei essa resenha na frente de outras porque sabia que há tempos você esperava.

XD

Leo disse...

Pensei se deveria comentar. Mas como chato aplicado que sou, não resisti.

Esse post é a síntese do seu blog. É claro que procurando se acha algo relevante, ou no mínimo, divertido. Mas no geral serve bem à falta de critério de adolescentes que baixam música compulsivamente.

Editors foi mais uma dessas bandas imoladas pelo hype. Fruto do esforço colossal que as gravadoras empregaram pra descobrir um novo Strokes. E nada além disso.

Aí tem aquele côro dos 'que gostam, e daí'. Tem gente que gosta de comer cocô. E daí?

Não faço idéia de quem é o autor desse blog. Se ele é estudante de jornalismo e usa óculos de aro grosso, ou seja lá qual o seu grande clichê.

Mas para se escrever sobre música é necessária uma visão bem mais dinânica do que o puro achismo que o seu blog apresenta.

Seus textos são como aqueles vestidos gigantes da Rainha Elizabeth I: uma porção exagerada de floreios e babados que juntos não passam de um grande engodo. Um arranjo enfadonho, pesado e oco.

Aquele abraço.

Débora disse...

L-I-N-D-O! =D

Anônimo disse...

ba, o cara acabou o assunto citando a Rainha Elizabeth. Certo que gosta de dar a bunda.

Iberê Borges disse...

Fala, Leo.

Deveria comentar sim, claro.

Eu sou o autor do blog, não sou jornalista ou adolescente, sou publicitário especializado em internet e escrevo só por diversão.

Não sei como chegou aqui, mas lembre-se que não foi arrastado. Dou minha opinião sobre o que acho relevante e escrevo apenas sobre o que gosto (e da maneira que gosto). Não tenho pretensão alguma de ser um crítico de música, já tenho uma profissão que adoro e um bom salário.

Venho aqui, exponho minhas opiniões e que bom que você fez o mesmo. Não batem? Paciência.

Só escrevo baseado nas minhas opiniões, independente da opinião de quem lê (ou quem só baixa). Não há "achismo". Há sugestões e resenhas de acordo com o gosto do autor.

O que me parece é que o meu "vestido da Rainha Elizabeth" está te incomodando. Livre-se desse incômodo! Dispa-se. Assim nenhum brilho vai te cegar e nenhuma frustração vai surgir.

Espero que isso passe.

Aquele abraço, cumpádi.

Anônimo disse...

me dá um G! me dá um U! me dá um R! me dá um U! GURU! GURU! GURU!

Hobbes disse...

Bom cd. Mas depois de ''An end has a start'', qualquer coisa que eles fizerem será no máximo o segundo melhor trabalho...

Débora disse...

"Adoro...deveriam trazer eles no Planeta terra ao invés do Maximo Park" - theallan disse...

Eu acho que deveriam ter trazido o Editors JUNTO com o Maximo Park. Adooooro as duas bandas. =D

E tb concordo com o Hobbes: "Bom cd. Mas depois de ''An end has a start'', qualquer coisa que eles fizerem será no máximo o segundo melhor trabalho..."

Leo disse...

Iberê, não se preocupe.

Você não é o único blogueiro privilegiado com o meu 'maumor'. Não é nada pessoal. Iria discutir música com você como faria com qualquer amigo meu numa mesa de bar. Pontos de vistas e paixões sendo defendidas aos gritos de 'filadaputa' entre um gole e outro de cerva.

Seu blog está em uma lista que uso para ver os vazamentos ou não de discos novos. Por isso visito, mas nem sempre leio. Geralmente sei bem o que quero baixar.

Achincalhei este texto, em pessoal, porque odeio essa banda. Pra mim não há argumento, que não o próprio gosto, para alguém falar bem de Editors.

E antes você fosse jornalista, a publicidade é o meio com as pessoas mais presunçoas que eu já conheci.

Paciência e até o próximo comentário.

Iberê Borges disse...

Na publicidade é onde estão os piores tipos de seres-humanos, não me restam dúvidas quanto a isso.

Mas eu me salvo, com presunção ou não.

ARISTÓTELES disse...

NÃO, PERAÍ GURU. NÃO É NA PUBLICIDADE QUE ESTÃO OS PIORES TIPOS DE SERES HUMANOS. O SER HUMANO É ESCROTO NA SUA ESSÊNCIA. NÃO PRECISA SER PUBLICITÁRIO PRA ISSO.

Anônimo disse...

a grande presunção dos publicitários é exatamente essa: acharem que são todos extremamente únicos e originais.

brenno disse...

e quando é como eu? publicitario E designer!
gente! sou o pior tipo de pessoa do mundo e nem sabia!
hehehehe!
Mas qto ao editors e ao blog, o editors não tá no meu gosto pessoal não...não gosto...prefiro mesmo o joy division.
Qto ao blog, eu baixo muita musica,quase todo dia e tenho muitos blogs de musica no meu favoritos,e o seu é um dos que dá as melhores informações,além de sempre por um clipinho do disco em questao o q é ótimo!
Vou continuar sempre acompanhando!
Mas tenta pôr uns clásicos tbem! Não se apegue só ao "mais novo lançamento", tá em falta um blog de clássicos independentes de todos os tempos!
abração!

lovenomore disse...

Concordo com o Hobbes lá em cima, difícil a banda conseguir superar seu segundo álbum. Sobre a discussão/comentários, acho lelag que isso aconteça, é melhor haja opiniões que a falta delas, afinal é pra isso que serve os comentários. Só acho que as pessoas devem separar procurar separar as coisas, não é porque não gosta da banda que tem que falar mal de quem faz uma resenha sobre a banda. Visito constantemente esse blog e gosto bastante do formato, embora nem sempre concorde com tudo que é dito na resenha, mas serve como referência principalmente para lançamentos. Aproveito para convidá-los para dá uma olhada no meu blog: www.lovenomore.wordpress.com

Ah, o Popmata tá linkado lá, Iberê, se puder retribuir, fico grato. Abraço.

Iberê Borges disse...

Acho que é bem isso aí. Não há problemas em concordar ou discordar. Adoro quando discordam de mim, pois assim que surge o assunto.

Agora, a liberdade de cada um escrever o que quiser e da forma que quiser não deve ser reprimida. Eu não escrevo esperando, realmente, que alguém venha aqui e comente. Mas adoro quando isso acontece, mesmo que seja pra me sacanear de "Guru". XD

Fico contente com as críticas positivas e com as negativas. Sinto que a gente tá compartilhando informações, e é isso que vale.

Essa era uma das intenções do blog.

Anônimo disse...

eu não concordo.

Iberê Borges disse...

Hahaha! É disso que eu tô falando. Não há coisa melhor. XD

Anônimo disse...

já viram? http://www.youtube.com/watch?v=oNtcrzc6FZU&feature=PlayList&p=F41C8C2158826B29&playnext=1&playnext_from=PL&index=25

Leo disse...

Agora o disco do Bad Lieutenant eu não paro de ouvir.

E eu gosto muito da organização do blog. Quanto a isso não há o que dizer.

Iberê, você podia fazer uma sessão de clássicos pessoais aí e não só dar o foco aos lançamentos.

Gosto de ver e criticar os clássicos alheios :P

Anônimo disse...

ô Leo, tu chegou todo cheio de nhénhénhé e o vestido da rainha. E agora ta dando sugestões. Me diz uma coisa, já que tu manja tanto de assuntos gerais, cadê o teu blog?

Leo disse...

Anônimo, vc é uma garota? Eu não tenho mais um 'blog'.

Tive durante anos, mas era uma coisa muito pessoal.

O mais perto que chego de ter um blog é o twitter, que é um nano blog, né? As pessoas vêem aquilo de uma forma diferente, mas não é nada mais que isso, um blog.

Quem quiser me atirar pedras, é só adcionar: @leotrindade no twitter.

Anônimo disse...

não é véio. não sou uma garota, mas olha o que tu escreveu pro cara: "Seus textos são como aqueles vestidos gigantes da Rainha Elizabeth I: uma porção exagerada de floreios e babados que juntos não passam de um grande engodo. Um arranjo enfadonho, pesado e oco." E agora ta dando sugestões. Fica frio então cara, só isso. Vai a merda tu e teus gostos musicais.

César M. disse...
Este comentário foi removido pelo autor.
César M. disse...

Depois de tantos incentivos lá na caixa de comentários do IndieNation resolvi vir aqui visitar o famosíssimo Pop Mata... e não é que o dono fala bem de todos os discos mesmo? :D

Mas te aconselho a continuar assim, do alto da minha vasta experiencia problemática com discos não muito bons resenhados por mim...

Abraço, Iberê Borges! E obrigado pelo link no blogroll...

Anônimo disse...

pô véio. cês vão ficar magoados por isso? qualé?! escreve ae guru.

Iberê Borges disse...

Sem tempo, cumpádi.
Quem sabe semana que vem?

marcizilla disse...

os arquivos foram removidos :(

Anônimo disse...

e a saia da rainha? tece a próxima ae!!!

Luís disse...

Pois eu não acho q o blog seja um amontoado de engodo. Gosto dos textos, acho td muito criterioso, equilibrado, mas nesse caso do Editors (coisa inédita) vou ter q discordar do texto.

Se o Editors antes me cheirava a picaretagem, esse disco me confirmou as suspeitas. Me soou totalmente papel carbono do Joy Division, uma fé imensa na amnésia alheia, total falta de personalidade, muita obviedade e preguiça.

Como vc disse, são só opiniões contrárias, paciência. No mais, parabéns pelo blog e toca esse negócio pra frente. =]

Anônimo disse...

ei e urrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrrgente se tem alguem que gosta de editors e da musica smorker out side the hospital doors fale comigo. meu e-mail é chinaiderjf@yahoo.com.br por favor por favor .

Anônimo disse...

Legalzinha

Egrégio Mentecapto disse...

Todos os servidores do link apagaram o arquivo.

Garcia disse...

Hehe

Anônimo disse...

otima banda!!!!! incrivel

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/?d0kho0b3f980pfx

Anônimo disse...

http://www.mediafire.com/download/z897c7152532ti1/Bongley_Dead_-_Demo_n.3_(2014).rar