segunda-feira, 21 de setembro de 2009

Rain Machine - Rain Machine (2009)

Rain Machine

Na época dos posts curtos, eu falei sobre o álbum do Iran lançado neste ano e responsabilizei Kyp Malone por aquele disco tão precioso. Malone além de um ótimo instrumentista, compositor, letrista e dono de uma voz única, tem liderado a ótima vanguarda da nova música estadunidense com o Tv on The Radio. Não é pouca coisa, mas também não foi o suficiente.

Rain Machine é o seu projeto solo, cujo álbum de estreia será lançado amanhã. E o "amanhã", agora no sentido de futuro, é algo que Malone parece dominar muito bem. Suas canções soam mais do que frescas, por vezes até chegam a simular uma vindoura compreensão, onde sempre parece cedo demais pra compreender totalmente certo formato. Esse conjunto de sensações persiste em sua estreia solo, num álbum com ótimas canções, apesar de detalhes pecaminosos. Ainda que não seja o seu melhor, "Rain Machine", assim como qualquer peça produzida por este nova-iorquino até hoje, não se mostrou algo dispensável.


Os assobios que abrem o álbum até nos dão a impressão que estamos prestes a conhecer um lado menos tenso do compositor. Porém, bastam as primeiras palavras de "Give Blood" para perceber que Kyp Malone não escolheu ir muito distante do que já havia produzido com o TVotR. A canção dá razão para a criação, do próprio compositor, diga-se de passagem, da nada convencional capa do álbum. A partir daí, você está prestes a ouvir as canções mais carinhosas que Malone produziu, ainda que não sejam as mais doces.

A incrível "New Last Name" abre as portas para uma sequência matadora de ótimas faixas, ainda que se tornem um tanto cansativas mais ao fim do álbum. Mas esse "cansaço" é gerado pela grande repetição de fórmulas porém, isoladamente, cada uma delas se mostra fortíssima e, porque não, belíssima. Não se desespere ou se decepcione. A política "Smiling Black Faces" e a quase silenciosa "Driftwood Heart" mostram o caminho até outra faixa que poderia pertencer a um album do TVotR, "Hold You Holly". Então, surge uma série de canções influenciadas por uma onda folk, onde Kyp exibe toda força de sua característica voz. Mas é na nada folkeada "Love Won't Save You" que ele emociona. Espancando sua guitarra, ele vai do sussurro ao grito (e ao quase choro) pra te dizer que o amor não vai te salvar.

Rain Machine mostra a face mais humano do compositor, e deixa um pouco de lado toda agitação e energia que parecia não ter fim naquele guitarrista preciso do TvotR. Ainda que isso seja uma decepção para certas pessoas, parece o mais sensato para este Kyp Malone. Pelo menos, enquanto o futuro não vem, ele continua fazendo a imagem (ou a sonoridade) mais condizente com o que há de vir, ainda que aposte em resgates, seja simples ou que faça simplesmente música, em sua forma mais primitiva e sincera.

Rain Machine - Rain Machine (2009)
Rain Machine - Rain Machine (2009)
01 - Intro
02 - Give Blood
03 - New Last Name
04 - Smiling Black Faces
05 - Driftwood Heart
06 - Hold You Holly
07 - Desperate Bitch
08 - Love Won't Save You
09 - Free Ride
10 - Leave The Lights On
11 - Winter Song
Download link in comments / Link de downloads nos comentáriosMySpace
Separador

7 comentários:

Anônimo disse...

Download Link:
http://sharebee.com/aae0ddad

Anônimo disse...

hj meia noite o editors. uaaaala.

Anônimo disse...

odiei

Lázaro Fanfa disse...

valeu véio! tinha achado esse álbum ontem, e tava desesperado pq o links tinham expirado!

salvou um ouvido!

Leo disse...

O Kyp Malone é uma espécie de 'resposta americana ao Thom Yorke'.

Fodão esse disco, um dos melhores do ano.

Anônimo disse...

Comparar Kyp Malone com Thom Yorke foi foda hein. O Malone não fez nem fará nunca nem 1/10 do que o Thom faz.

Anônimo disse...

valeu